Estudo de caso / 2017

Economic ComparisonAssessment of FSM vs Piped sanitation: Case of Tiruchirappalli

Consortium for DEWATS Dissemination Society (CDD Society)

 

Resumo

Aborda a implementação do gerenciamento do lodo fecal no município e as obras complementares para que seja feito um descarte seguro.
 

Ficha técnica

  • TIPO DE PUBLICAÇÃO
    Estudo de caso
  • TIPO DE ATOR
    ONG especializadas
  • IDIOMA
    Inglês
  • AUTORES
    Consortium for DEWATS Dissemination Society (CDD Society)
  • ANO DE PUBLICAÇÃO
    2017
  • LIVRE ACESSO?
    Não
  • FONTE
    CDD Society
 

Questões enfrentadas

-Tiruchirappalli-Tamil Nadu.

-Com o aumento populacional foi necessário ampliar as redes de esgoto para incluir novas áreas.

-O município possui duas abordagens de esgotamento sanitário (centralizado e descentralizado). O primeiro possui alto custo para ampliação, o segundo não possui uma operação e descarte seguros, colocando em risco a saúde pública.
 

Soluções empregadas

As ações aplicadas são voltadas aos seguintes aspectos:

- Políticas públicas;
- Planejamento e metodologias
- Modelo de negócio

Políticas públicas:

O projeto de gerenciamento dos resíduos fecais foi feito pela empresa CDD Society em 2015, afim de contribuir com a expansação da coleta e tratamento de esgoto do município. O projeto propõe a melhoria do sistema descentralizado através de um gerenciamento em toda cadeia de serviços, melhorando a infraestrutura operacional e trazendo a responsabilidade civil.

Planejamento/ metodologias:

Etapas da intervenção faseada:
1ª fase: Eliminar o descarte inseguro de fezes e lodo nos sitemas que já existem, para isso seria necessário melhorar as fossas rudimentares e criar uma estação que tratasse lodo;
2ª fase: Ampliação da rede de esgoto nas populações centrais, construção de novas fossas sépticas na periferia e tratamento dos drenos abertos.
3ª fase: atribuir responsabilidades as partes interessadas

Modelo de negócio:

Apesar dos investimentos feitos, não via-se melhora, pois com a invisibilidade da rede de esgotos, muitos operadores negligenciavam etapas necessárias o que tornava o sistema disfuncional. Foi proposto que o gerenciamento do lodo fecal seria implementado da seguinte forma: o serviço de algumas etapas da cadeia do esgotamento sanitário seria pago pela população. Essa ação chamada de poluidor pagador traria mais transparência ao que é feito com o valor recolhido dos impostos.